Smart Urbanism

SMART URBANISM  – Site da nossa rede de pesquisa Newton Fund (Brasil – UK) no ar.

Screen Shot 2015-10-14 at 8.27.41 PM

 

 

 

 

 

 

 

 

Criamos uma rede multidisciplinar de colaboração internacional tendo como tema principal  AUGMENTED URBANITY AND SMART TECHNOLOGIES: HOW “SMART” ARE OUR CITIES BECOMING?

Próximo workshop será no Poscom – UFBA em Salvador.

Mais informações no site.

Data Ethics Workshop – Predict 2015

Amanhã participo como ouvinte (como é bom isso!) do Data Ethics Workshop, organizado pela Inisght, um dos maiores centros sobre Data Analitics da Europa no Royal Dublin Society.

800_800_31401_front634650768101243186O evento faz parte de uma conferência maior, Predict, sobre algoritmos e big data. Espero em breve colocar reflexões sobre esses temas de forma mais articulada.

Em pouco tempo, desde que cheguei em Dublin nos últimos dias de agosto, participei de três eventos nos quais os algoritmos e os dados digitais são aspectos centrais nas interrogações sobre os desafios da sociedade contemporânea (City and Data, em Maynooth, e o Workshop do projeto de cooperação Newton Fund em Bristol e Plymouth sobre “augmented urbanism”). Vejam os posts anteriores.

Pode-se notar um cruzamento constante e interessante de indagações vindas da geografia, da arquiterura, da engenharia de softwares, da sociologia, da filosofia… e da comunicação. Uma das questões centrais no debate é justamente a mediação como forma de comunicação. É nessa nova qualidade da mediação que aparecem os problemas atuais mais urgentes: previsões e antecipações, sistemas inteligentes (smat city, house, saúde…), proteção de dados pessoais…Tudo isso está em discussão justamente pela força mediadora das tecnologias e dados digitais.

Um dos objetivos do workshop é discutir a proposta de uma Magna Carta for Data que poderia (deveria) ser adotada globalmente para estabelecer novas formas de conduta de organizações, empresas, usuários, serviços, tecnologias…A proposta está em discussão, assim como a similar (mas mais restrita do que a proposta de uma Carta Magna) lei de dados pessoais no Brasil.

Newton Fund – Step 3 – Bristol and Plymouth

IMG_3220

Dublin. My Odyssey is in its beginning. Last  week, “Data and the City” workshop in Maynooth. Tomorrow, Newton Fund activity in UK. It’s the “Augmented urbanity and smart technologies: how “smart” are our cities becoming?” RCUK-CONFAP International Network next step with my colleagues from Durham University, Facom – UFBA and PUC-PR. The previous meetings were in Durham/Glasgow and Curitiba. After Plymouth, it’s Salvador-Bahia turn, on December!

The program proposed by our colleagues from Plymouth University (Alex and Katherine) is very exciting, trying to move toward a better understanding of smart cities, Internet of things and big data issues. We’ll see the projects and talk with people from Bristol Open (“city operating system”, “city experimentation as a service”), Bristol Playable City (a counterpoint to “Smart City”) and Citizen Canvas (or “how to humanise smart cities?”). This is our first day.

The next two days will be in Plymouth in a very intense workshop. All the research team will present a paper to discuss. I’ll present “Smart Cities in Brazil. Experiences under way in Búzios, Porto Alegre and Rio de Janeiro” (Lemos, Mont’Alverne) (unpublished). Abstract: “In contrast to the more aggressive BRICS countries, like China or India, the smart city phenomenon is still in its infancy in Brazil. In this article we present the experiences of three urban areas: Búzios, Porto Alegre and Rio de Janeiro. As well as describing and analysing these three Brazilian experiences, the article proposes a global model for smart city projects, based on “Conception,” “Organisation” and “Action,” and advocates the use of Actor-Network Theory (ANT) (LATOUR, 2005) as a useful theoretical framework for analysing this phenomenon.”

Data and the City

Chegando para o meu estágio sênior na Irlanda, participo na próxima semana do workshop Data and the City no The Programmable City Lab da NUI-Maynooth. Abaixo o abstract. O excelente programa pode ser visto no link acima.

Data and the city

The Programmable City Project is hosting a two day invite-only workshop on the relations between data and the city. The Data and the City Workshop will take place on August 31st and September 1st 2015 and will bring together 20 invited experts in the field and the ProgCity team. A description of the workshop and the agenda are below with links to some of the papers to be presented that are already available online:

There is a long history of governments, businesses, science and citizens producing and utilising data in order to monitor, regulate, profit from, and make sense of the urban world. Data have traditionally been time-consuming and costly to generate, analyze and interpret, and generally provided static, often coarse, snapshots of phenomena. Recently, however, we have entered the age of big data with data related to knowing and governing cities increasingly become a deluge; a wide, deep torrent of timely, varied, resolute, and relational data. This has been accompanied by an opening up of state data, and to a much lesser degree business data, and the production of volunteered geographic information. As a result, evermore aspects of everyday life — work, consumption, travel, communication, leisure — and the worlds we inhabit are being captured as data and mediated through data-driven technologies. This data revolution has produced multiple challenges that require critical and technical attention — how best to produce, manage, analyze, and make sense of big and open data, data infrastructures and their consequences with respect to urban governance and everyday life. The workshop will examine such critical and technical issues across the five thematic areas of: critically framing data, data infrastructures and platforms, data models and the city, data analytics and the city, ethical and political issues.

Técnica, Lúdico e Teoria Ator-rede

Dois artigos recém-publicados sobre os temas da técnica e dos games a partir da teoria ator-rede.

Critique of the essentialist critique of cyberculture – Revista Matrizes

The aim of this article is to analyse the critique of cyberculture through a discussion of the essence of technology. The article revisits the classic treatment of this theme and its actualization in the viewpoints of the new critics of digital culture. The central argument is that the traditional critical perspective (fundamentalist or pessimistic) fails to address the phenomena of digital culture due to this essentialist bias. The article proposes an analysis of cyberculture based on Actor-Network Theory (ANT), arguing that a focused view, sticking closely to the constituent networks of technical phenomena and the associations that form the social, may offer a solution to the empirical failure of critique.

Por um modo de existência do lúdico – Revista Contracampo

O objetivo deste artigo é discutir a teoria ator-rede a partir dos “modos de existência”, sugerindo a inclusão de mais um modo para pensar a modernidade. Discute-se uma questão que a leitura do último livro do sociólogo francês Bruno Latour, Enquête sur les modes d’Existence (2012), deixa em aberto: a ausência de um “modo de existência” do lúdico. Parece faltar esta que é uma das importantes dimensões da produção da subjetividade moderna. O artigo apresenta os modos de existência, propõe mais um modo (lúdico), apontando para a existência de “seres do jogo”, e estabelece correlações deste com outros modos, como o da técnica, o da metamorfose e o da ficção. O objetivo é contribuir para a discussão sobre a teoria ator- rede, os estudos sobre os games e ao campo da comunicação como um todo.

Ficar só para viver junto.

Meu texto publicado hoje no caderno especial do Correio* sobre o Fronteiras do Pensamento (clique na imagem para ampliar). O tema do evento é “Como viver juntos”. O caderno foi oferecido apenas a assinantes, mas será distribuído no evento, na terça dia 12/05, próxima terça. Terei a honra de ser o debatedor do primeiro evento da série com o sociólogo espanhol Manuel Castells.

Ficar so para viver junto

II Seminário Nacional de Epistemologia da Comunicação

Participo a convite da Profa. Maria Immacolata do II Seminário Nacional de Epistemologia da Comunicação. Os objetivos são:

“Reunir pesquisadores brasileiros que são reconhecidos por seus trabalhos autorais de epistemologia da comunicação.
Solicitar a cada expositor um paper autorreflexivo de sua trajetória de estudo epistemológico da comunicação.
Realizar debates entre os autores e o público, principalmente de pós-graduação.
Fazer uma publicação dos textos apresentados.”

O tema da minha fala será: “Da Engenharia à Comunicação. Traduções e Mediações para compreender a Técnica e a Comunicação na Cultura Contemporânea“.

Abaixo a programação:

Realização: ECA/USP e PPGCOM/USP

30.03.2015 – das 9 às 18h30

9h – Abertura com a presença da Diretora da ECA; Coordenadora do seminário; Pró-Reitores de Pós-Graduação, de Pesquisa, de Cultura e Extensão da USP; Presidente da CPG-ECA; Coordenador do PPGCOM-USP; Representantes de Área na CAPES, CNPq e FAPESP.

O seminário será desenvolvido em duas sessões, manhã e tarde, em 4 mesas temáticas, cada uma com 3 expositores, seguidas por debates.

9h30 às 11h00
Mesa 1: Percursos epistemológicos nas novas mídias
Moderadora: Elizabeth Saad – Universidade de São Paulo (USP)
Expositores:

André Lemos – Universidade Federal da Bahia (UFBA)
Francisco Rüdiger – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS)
Lúcia Santaella – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP)
Debates
Intervalo – 11h00 às 11h15

11h15 às 12h45
Mesa 2: Tradições epistemológicas do campo da Comunicação: três percursos
Moderador: Eneus Trindade – Universidade de São Paulo (USP)
Expositores:

Antonio Fausto Neto – Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS)
José Marques de Melo – Universidade Metodista de São Paulo (UMESP)
Muniz Sodré – Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
Debates
Almoço – 12h45 às 14h30

14h30 às 16h
Mesa 3: Percursos epistemológicos contemporâneos na Comunicação
Moderador: Massimo Di Felice – Universidade de São Paulo (USP)
Expositores:

Ciro Marcondes Filho – Universidade de São Paulo (USP)
José Luiz Braga – Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS)
Lucrecia D’Alessio Ferrara – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP)
Debates
Intervalo – 16h00 às 16h15

16h15 às 18h30
Mesa 4: Percursos epistemológicos da pesquisa empírica na Comunicação
Moderadora: Roseli Fígaro – Universidade de São Paulo (USP)
Expositores:

Luiz Claudio Martino – Universidade de Brasília (UNB)
Maria Immacolata Vassallo de Lopes – Universidade de São Paulo (USP)
Vera França – Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
Debates
Encerramento