My Winnipeg and Take Care of Yourself

My Winnipeg and Take Care of Yourself

Essa semana assisti o filme “My Winnipeg” e visitei a exposio de “Prenez Soin de Vous”, duas obras interessantes pelo mecanismo mnemnico que elas ativam e pela publicizao da vida privada. Pequeno comentrio sntese no fim do post.

O filme “My Winnipeg“, 2007, do canadense Guy Maddin uma narrao em primeira pessoa sobre sua vida e sua sada da cidade. Crtico e com muito bom humor, o autor/personagem est em um estado de viglia e sono e a narra as suas memrias intercaladas com fatos marcantes da cidade. No h praticamente dilogo entre as personagens.

Todo em preto e branco com imagens nervosas, o filme como uma experincia onrica, ficando entre a fico e o documentrio. O diretor utiliza atores para representar membros de sua famlia, sendo que sua me atua no papel dela mesma. O autor/ator est sempre balanando entre o sono e a viglia em um trm que desfila, pela janela, a sua sada da cidade. A imagem que desfila no trm mostra o sono inquieto do autor e remete dimenso do espetculo, como o cinema, como as viagens por meios de transporte, e como o sonho. Muito bom!


Vdeo com a artista

J a exposio de Sophie Calle, “Prenez soin de vous”, apresentada na Bienal de Veneza em 2007, uma reao a um email que ela recebeu de seu amante comunicando o rompimento da relao. Ela enviou o email a 107 mulheres (cantoras, atrizes, advogadas, tradutoras, psiclogas, criminalistas, linguistas, etc) e expe, em diversos formatos, as mais variadas reaes.

Interessante e multimdia (mensagens escritas como um SMS, cartas, tradues, fotos, vdeos, filmes…) a obra uma forma de catarse da artista. Ao compartilhar algo to ntimo pela publicizao dessa dimenso pessoal (uma relao amorosa que s diz respeito aos envolvidos), a artista torna visvel e pblico o que do regime das alcovas e do segredo. Em alguns momentos a exposio chega a ser pertubadora pela exposio de si, do outro (mesmo annimo, identificado por “X”) e pelas reaes analticas ao email (h anlises jurdicas, criminolgicas, psicolgicas, lingustica, de contedo…). H, na ltima parte (sugerida) da exposio, 33 telas, cada uma com um nico plano sequncia, onde personalidades comentam a missiva (Laure Anderson, Jeanne Moreau, Maria de Medeiros, Victoria Abril, Miss Kittin…). Aqui uma entrevista da artista concedida ao The Guardian. A exposio est na excelente galeria DHC em Montreal. A exposio toma todos os quatro andares da galeria, mais um anexo situado em outro prdio, na mesma rua.

Em uma sociedade cada vez mais voltada para a vigilncia do outro (CCTV, mdias locativas, reality shows, traos na internet, etiquetas RFID, GPS, etc), parace at estranho que os artistas estejam, deliberadamente e espontaneamente, revelando suas vidas privadas, suas memrias (como em “My Winnipeg”) e suas decepes afetivas (como em “Prenez Soin de Vous”). Isso s nos indica o quanto a questo complexa e como a flutuao entre privacidade e vida pblica est mesmo sempre por um fio.