Locative Media, Control and Surveillance

Locative Media, Control and Surveillance

Falava no ltimo post sobre as discusses que esto sendo travadas na minha disciplina da Ps. Fizemos na ltima aula uma discusso sobre locative media e vigilncia. Ressaltava nesse momento que o regime de visibilidade e de produo de localizao, monitoramento de movimentos e de servios baseados em localizao com as mdias locativas veem de pesquisas militares, de vigilncia estatal, policial, comercial e industrial de longa data, e que s estamos vendo acirrar hoje em dia. Os projetos com LBT (location-based technologies) e LBS (location-based services) funcionam no mesmo registro de visibilidade, controle e tratamento de dados que os sistemas do complexo militaro-industrial.

No entanto, os projetos sob o nome genrico de “locative media” (nome dado por artistas para se diferenciarem desses projetos militares e comerciais) visam justamente acirrar as ambiguidades, colocar em evidncia as formas de controle, estimular a errncia e a produo de contedo que criem efetivamente sentido para pessoas e comunidades. Os projetos em locative media (ativista e artsticos) podem ser compreendidos como uma crtica aos LBS e LBT. Temos mostrado nesse Carnet diversos exemplos de construo coletiva de histrias de uma comunidade, de anotao eletrnicas urbanas, de jogos que atuam na ambiguidade das conexes como os do Blast Theory, de desenhos e escritas com GPS que se apropriaram dessa tecnologia militar, do uso de RFID para produzir uma memria eletrnica de coisas do quotidiano (e criticar o uso como “spychips”), etc…

Vejo agora dois posts que tratam da questo da vigilncia e do controle em marcha com essas novas tecnologias e servios de informao baseados na localizao. O primeiro, com o ttulo “society of control“, usando uma expresso deleuziana, aponta para a continuidade entre o panoptico foucaultiano e as midias locativas:

“Locative media are originally and still used for the same purposes. GPS were originally conceived by the army to have visual information on the enemy situation and is still used for the same purpose. Even if we feel that we have privileged information, we have access to some of the available truths that these technologies allow. Goggle Earth is a good example of controlled information to control society. All the information in that piece of software is photographs from satellite taken months earlier to be sure public doesn’t have access to up-to-date compromising or military-useful information. Even open source information is forced to a form of censorship to permit control and surveillance on the users trough laws.
Being scared of an ultimate surveillance society is a very important reaction to have, but the main problem isn’t to be watched constantly; it is to have all this information controlled by people with bad or egoist intentions.”

Vejam o interessante vdeo (tracking services e discusses sobre ID cards, claro, na GB) indicado pelo post:

O segundo post, ingnuo e mal escrito, aponta no entanto para uma questo importante e que reflete o que expomos acima: as zonas de sombra, para aes de desconexo. O post “Swimming in the Gray Zone” aponta para essas zonas de desconexo, zonas de sombra onde as midias locativas no funcionam. Aqui, a desconexo ganha uma dimenso poltica, como forma de evitar ser pego por sistemas de vigilncia. Como no jogo, Can You See Me Now onde, para no ser visto ou pego, preciso saber usar as zonas de sombra da cidade. Trechos do post: “I think that the idea needing to find these grey areas where locative medias doesn’t reach is very important. I think it would be refreshing to be able to know that theres a place where you can escape tracking as society becomes more and more controlled and tracked by different entities. (…)