Feriado na Bahia. Dia da independncia.

Pouco importa, meu leitor virtual!

Escrevo esse dirio e voc est a, virtualmente, de qualquer lugar e a qualquer momento. Que motivo te leva a ler? que tipo de leitor voc? que tempo, dentro deu dia a dia, voc dedica leitura? No nos esqueamos, somos o que fazemos com o nosso tempo. Pois , e sempre que fazemos uma coisa temos que deixar de fazer uma outra. A leitura, e por tabela a escrita, precisam de um tempo prprio. Pensando assim, trata-se de um problema de agenda. Seria isso?

De certa forma sim…mas por outro lado no!

Pois bem, Daniel Pennac em seu “Comme un roman” (Paris, Folio, 1992) vai afirmar o contrrio. Ler no uma questo de agenda, mas de vida. Mais do que obrigao do dia a dia, includa a aquela de encontrar brechas, ler um estilo de vida. Voc, aqui, agora, est cumprindo o horrio de sua agenda? fazendo uma leitura til? ou voc encontra aqui (na leitura, no na minha escrita) o seu estilo de vida? sua nica forma de vida? Mesmo que sua agenda no permita, voc encontra esse tempo pr voc, essa brecha que te permite ser?

Ler (e escrever), como o amor, dilata o tempo, elastece o vivido. Para Pennac “la lecture ne releve pas de l’organisation du temps social, elle est, comme l’amour, une maniere d’etre”,.

ser voc, leitor virtual?