WARUM 2.0

WARUM 2.0

Vdeo de 1985 de Paul Virilio, Klaus vom Bruch, Jack Goldstein, Stefaan Decostere e Chris Derco, Warum, mostrava a relao entre tecnologia, guerra e velocidade na construo da realidade. Agora, exposio em Leuven, na Blgica, apresenta o Warum 2.0, com vdeo, blog e instalao no Artefact festival (February 12-17, 2008). Vejam o blog para mais informaes e vdeos (via Networked_Performance).

Trechos do post:

“The changed attitude towards documentary images is the main theme of WARUM 2.0. A 3600 panorama amidst transparent screens and multiple interactive access points turn the installation into an arena where visitors can interfere with and add value to the images.

In late 2007 a new conversation was recorded with Paul Virilio. Both at the installation and online, new tools by Christian Decker, Edwin Uytenbroek, Chris Devriese, Jonas Hielscher and Sander Korebrits are available. The footage used is shot in Haiti, Iraq, Gaza, Darfur, Kosovo and Afghanistan by freelance cameraman Daniel Demoustier.”


Warum wir Mdnner die Technik so Lieben

Aqui vocs podero ver em vdeo entrevistas com Paul Virilio. Tive a oportunidade e a sorte de ser seu aluno em meados de 1990 no College International de Philosophie em Paris e posso afirmar que ele continua com a mesma verve.

Abaixo transcrevo livremente prolas traduzidas por mim de alguns vdeos em francs:

“a eletrnica o novo iluminismo, uma nova religio e deveremos inventar um novo ‘mono-atesmo'”.

“devemos recriar o ‘coro’ antigo, pessoas que no tem medo da tragdia (…) algo mais importante que o grande espetculo”.

“su sou sensvel ao movimento de ‘futurizao’, estamos diante de um futurismo do instante. O instante que nos prope hoje um futurismo mascarado e um futurismo mascarado leva ao fascismo, um novo facismo que no tem nada a ver com Mussolini ou Hitler, mas um facismo ligado ao sucesso das tcnicas. (…) e uma grande ameaa para a democracia e para o pensamento coletivo”.

“passamos da democracia representativa democracia mostrativa das emoes. Nao mais uma democracia, mas o totalitarismo como foi o comunismo”.

“passos hoje do politicamente correto ao ‘opticamente’ correto da tela”.