MobileFest

Muito legal a iniciativa do Paulo Hartmann e do Marcelo Godoy para a organizao do Mobilefest junto com o SESC-SP. Mostras de vdeos feitos com celular, posters e instalaes, alm do seminrio internacional muito interessante, que comento um pouco mais adiante.

Todas as fotos e filmes aqui mostrados foram feitos com um celular Motorola PEBL.


Vdeo da instalao


Vdeo da instalao

Algumas Fotos dos cartazes na entrada do SESC SP

Assisti todo o dia 17, que comeou com uma mostra de filmes para celular e que teve a tarde o tema da :
A SOCIEDADE DO ESPETCULO MVEL

Adriene Jenik (USA, California) – Projeto Specflic – Speculative distributed cinema. Principais tpicos abordados:

1. re-activating public space.
2. San jose library
3. Streaming wireless vdeo, helmet mounted. GPS to track…”cinema espacializado”?
4. Rudy rucker, fico cientfica pelo celular.
5. Specflic.net
6. Infosphere


Christian Wiener
Falou de
1. meshes – interactive mobile movie
2. audincia manda fotos por celular e o sistema devolve para a audincia como um filme onde imagens so colocadas por similaridade…a ltima foto enviada no a ltima da seqncia necessariamente. O filme foi exibido em 4 museus simultaneamente.
3. mobilefest@mesh.org


Juca Varela

1. Editor de foto do Estado.
2. Foto reprter. Fotografias enviadas pelos leitores.
3. Outubro 2005.
4. Dia 7 de julho. Londres; fotos de tv e de agencias “ps-atentado”.
5. Dia 8, fazendo um tour por jornais do mundo, constata-se que as pginas exibiam fotos de celular dos passageiros (distribudas pelas agncias)
6. Estadao…em um ano, 13 fotos por celulares enviados por usurios foram publicadas em primeira pgina.


No final da tarde Suely Rolnik fechou a mesa:

1. questes comuns:
2. poltica e arte, aproximao a partir do ano 2000 no Brasil e com as TICS;
3. como cada um pensa uma pratica artstica e ativista e onde elas se encontram ou no;
4. como se entende a vida pblica…como interferir na vida pblica…esfera e espao pblicos e …vida pblica.
5. relao e participao do outro na proposta ? interatividade e participao ? democratizao do uso das TICS
6. defender liberdade de experimentao
7. como se pensa dispositivos artsticos como interveno na vida publica—-como se leva isso para os espaos institucionais. Viso apenas externa por fotos…como trazer a vitalidade naqueles espaos.
8. uma via de investigao: trabalho de reflexo…indicar um caminho: relao com o outro central e deve ser pensada transdisciplinarmente. rgos de sentido, percepo/forma/representes/. Outra capacidade: ser afetado pelo outro…vibrar/afetar/incorporar ao corpo..entra em choque com a percepo…um critrio para pensar a interao na arte com as TIC. Pensar que lugar se est dando ao outro quando pensamos os processos artsticos interativos.


Conferncia Final de Giselle Beiguelman sobre as questes da cultura da mobilidade, seus projetos e o estada da arte por tecnologias mveis hoje.

A noite coordenei uma mesa sobre Locative Media que coloco as reflexes em um prximo post. Aguarde ! ;-))