GPS Toquio

Mochi, Mochi,

Vamos discutir hoje no evento Cibercultura (veja ltimo post) as mdias locativas. Acabo de receber um e-mail da minha amiga Raquel, de Tquio, descrevendo sua impresso sobre o uso de GPS na capital japonesa. Tinha experienciado o uso desses equipamentos em Paris, Bonn e Viena. Entretanto, a penetrao no Japo mais radical j que parece no haver carros sem GPS…O aparelho to importante nos carros quanto o motor e as rodas ;-)). Aqui no Brasil a coisa t ficando acessvel e popular tambm (mais ou menos R$1.000). Vrias locadoras de veculos j colocam o aparelho embarcado nos carros com os mapas das principais capitais brasileiras e alguns celulares no mercado j trazem o GPS embutido. Discutiremos mais isso hoje a noite no auditrio do ICBA.

Vejam o depoimento:

“Aqui em Tokyo me impressiona a sofisticao dos gps nos carros e taxis. Outro dia samos de carro com uns japoneses para uma casa de banhos (hotspring) bem tradicional e fiquei boba com o brinquedinho de localizao: alm de reconhecer a voz do dono e de “bater papo” com ele, o aparelho mostra imagens do trnsito em ruas a serem percorridas, traa alternativas quando est muito crowd determinada rua etc etc etc. As localizaes de ruas aqui em Tokyo so ultra-complicadas, at mesmo para os japas, e imagino que se desse um pau geral nos gps de todos os carros (porque nunca entrei num carro sem gps) seria o caos na megalpole.”

Obrigado Raquel!

One Reply to “GPS Toquio”

  1. Achei interessante a parte em que ela menciona que o proprietrio do veculo bate papo com o GPS. Isso apresenta outra possibilidade que cresce no mercado tecnolgico que a interao entre o homem e a mquina. As interfaces entre homem e mquina so cada vez mais prximas do processo comunicativo comum entre os homens. A outra questo que chama a ateno da suposio feita pela sua amiga do que seria a cidade sem os GPS. Isso comprova que ficamos cada vez mais dependentes das mquinas e j passamos a criar paradigmas de que a vida seria impossvel sem elas. Como diversos autores sustentam, as mquinas passam a ser uma extenso do homem que se torna, em tese, um cyborg.

    Agora, que os brinquedinhos so divertidos so. Para quem gosta, vai dizer que no parece a tela do Need for Speed?

Os comentários estão fechados.