Espao-Rede

20130325-222627.jpg

“O espao no o ambiente (real ou lgico) em que as coisas se dispem, mas o meio pelo qual a posio das coisas se torna possvel. Quer dizer, em lugar de imagin-lo como uma espcie de ter no qual todas as coisas mergulham, ou de conceb-lo abstratamente com um carter que lhes seja comum, devemos pens-lo como a potncia universal de suas conexes”. (MERLEAU-PONTY, 2006, p.328)

MERLEAU-PONTY, M. (1994). Fenomenologia da percepo (C. Moura, Trad.). So Paulo: Martins Fontes.