Um interessante livro de estria de Paulo Rodrigues, Margem da Linha, pela Cosac & Naify, de 2001. Conta a saga de dois irmo do subrbio de alguma cidade brasileira que partem pela linha frrea a procura do pai. Trecho: “No era preciso surgir do cu o mesmo sol de novembro, nem emanar do p as mesmas ondas de calor, para eu relembrar aquela nuvem pesada que nos obrigou a vencer o espanto e procurar abrigo. No era preciso desabar um aguaceiro cheio de estrondos e fascas, nem surgir do nada um casebre em runas, para eu sentir de novo o mesmo embarao de pensar que ela, encostada na parede defronte de mim, poderia ouvir as batidas exaltadas do meu corao…” (p.82).