Janelas lusitanas no me enganam, no cedo a sua seduo…pego minha espada e espero o aparecimento do drago… plena lua e consigo ver um pouco da fumaa da sua narina exilada. Mas ele se nega a lutar…e fico como um imbecil com a espada na mo.

Janelas lusitanas no me enganam, a vida continua hesitante, feliz pela sorte e infeliz pela impossibilidade de fazer como quase todos os outros…ah essa diferena indeferenciada insuportvel, esse corpo imbecil, essa alegrias egicas e nem to pouco hericas…fuck the heros!!!

Janelas lusitanas no me enganam, no impedem as lgrimas da solido, nem tampouco aquelas da alegria histrica, no limpam o caminho para a pressa inacabada, nao extirpam a pressa dos que no tm caminho…

As janelas no fazem nada, a no ser me mostrar que l fora no encontro o que h por dentro, e que por dentro nunca vou ver o l fora. As janelas no existem, so transparncias e transparentes ao mundo, limte e ilimitabilidade do nada

(Lisboa, outono)

As janelas me enganam!