Do Janelas do Mundo:

Hoje voc quem me olha, janela de todos os lugares…no quero olhar pra fora, nao quero te ver. E voc a, onipresente a me espreitar…sai pr l…o meu olhar hoje vai pra dentro, para o inexorvel eu, nao quero saber do mundo l fora..

E s pr isso que voc serve, para ver do meu interior o exterior de onde estou…mas nao quero ver nada hoje, nem voc, janela mais que indiscreta, nem ningum. Quero olhar pr dentro como disse, mesmo que no v encontrar nada que possa me levar para fora, para alm de mim mesmo.

Venta muito e seu barulho me incomoda, parece que quer chamar minha ateno, em vo, digo logo, hoje voc no vai conseguir me expurgar de mim mesmo, sair daqui onde nem eu mesmo quero estar, levado pelo inevitvel…fora do meu campo de ao te ignoro na sua presena, entro em eclipse e fora da sua gravidade…hoje voc perdeu…no vou te olhar, no vou me encostar em voc, nao vou pensar no mundo, livre de qualquer inteno, nao vou me livrar a essa ao fortuita de ficar olhando as coisa do outro lado…vou olhar o lado de dentro, o lado obscuro, sem viso…mas vou olhar assim mesmo…no quero a sua diverso facil, no quero a sua disperso…no quero voc hoje…amanha talvez.