Saiu e encontrou na rua a evidncia que no esperava…parecia ter desaparecido para o resto do mundo. A chuva que no o molhara j anuciava o pressgio de seu desaparecimento. Esbarrava em pessoas que nada sentiam, ou assim ao menos demonstravam, entrava em lugares e no era percebido, falava com pessoas que no respondiam ao seu apelo. Nesse momento pensou que estava morto, mas a dor da sua existncia era tanta que comprovava exatamente o contrrio. Estava vivo, sim, mas s para ele mesmo? e no fundo estamos vivos para outros que no ns mesmos? At quando poderia suportar essa situao? Acendeu um cigarro e entrou no metr mais prximo.