E nesse dia chuvoso ele sai de casa, no antes de tomar o seu caf com leite e croissant para encarnar a alma depois de oito horas de um sono bizarro, repleto de sonhos incompreensveis. Desce os andares do prdio e se encaminha para o metr mais prximo, na Rue dAvron. Pega o primeiro trem e desce algumas estaes depois em Belleville. Ele sempre amou a mistura de culturas e a profuso de corpos estranhos desse bairro. Acordou hoje com vontade de cruzar Belleville a p, flanar pelo bairro e se encaminhar de forma tortuosa ao cemitrio Pre Lachaise. Sem pressa podemos ver os detalhes do mundo, pensa, perdido em meio a gotas de chuvas que pareciam no atingi-lo. Nada esconde esse seu desejo mrbido de ver mortos. Parece que para confirmar que estava vivo, se que essa confirmao possa se dar de alguma forma definitiva…