e ele disse: oh bon dieu, o que isso que est acontecendo?

e ela disse: vamos logo, tenho que pegar o nibus, escrever aquela carta…

e ele disse: mas o qu est acontecendo? Por que tento fugir desse barulho infernal e no consigo, por que toda essa confuso?

e ela disse: vou me esconder nesses culos escuros, mesmo que seja noite, vou pr a peruca ruiva e ningum, ningum vai me reconhecer. Voc vem ou vai ficar a em p, no canto do quarto fumando esse cigarro?

e ele disse: e o horscopo, que sempre diz mas no acreditamos, por que esse horsculo caiu aqui bem na frente dos meus olhos? Por que esse carto postal est na outra pgina falando do risco, do acaso, de acertos e desarcerto? Vou perdendo o controle, mas eles tambm esto perdidos.

e ela disse; cala a boca e anda, empurrando-o com os braos, pra de pensar imbecil! o cd de Al Jarreau est quebrado e no toca mais aquela msica, nada est no lugar.

e ele disse: mas no h mais msica em Nova York, nem monlogo, nem performances, nem trilogias, no h nada, s a sorte ou o azar, s vezes.

e ela disse: isso, fim, tudo acaba um dia. Vou viajar para nunca mais voltar.

e ele disse: nesse Rio de lgrimas partir e chegar sempre a mesma coisa.

e ela disse: cala a boca, voc no v o que est acontecendo?

Salvador, outono 2003