Mapa de Crimes

Mapa de Crimes

O uso de mapas e a produo de contedo livre associado tm sido duas das principais caractersticas das mdias locativas. Mapas so meios de comunicao potentes hoje e, na mesma tendncia das mdias contemporneas, eles tm passado de mdias de funo massiva (produzido por poucos e consumido por muito) para mdias de funo ps-massiva (produzido por muitos e consumidos por nichos). Os mapas so mdias por possurem mensagem, meio, emissor e receptor e, como toda mdia, produzido com distroes, geogrficas e ideolgicas. O mesmo se d hoje com a produo de mapas digitais com contedo localizado e colaborativo. Essa produo no nova, muito pelo contrrio (mapas tem sido desde sempre produzidos por pessoas desconhecidas e com contedos diversos indexados), mas a diferena est na facilidade de produo e de criao dos mais diversos contedos pelas tecnologias da web 2.0. Como j colocamos aqui nesse Carnet, h hoje uma produo indita de mapas e contedos localizados. Aqui fica sempre duas questes: 1. eles no representam a realidade, mas a produzem e 2. eles no so neutros, mas ideolgicos revelando estados da sociedade e dos poderes em jogo. Como escrevi em outro post: “Mapear produzir uma representao do mundo, uma construo ideolgica, e isso desde os grandes imprios do passado (Roma, Portugal, Espanha, Gr-Bretanha) at hoje com os “imprios” das tecnologias informacionais. Embora ampliando e democratizando as formas de produo de mapas e contedos localizados, sistemas como o Google Maps/Earth/View no so neutros e esto a merc dos poderes constitudos (vejam post sobre evento em Madrid onde comento palestra de Julian Oliver sobre esse tema). Alm disso, os sistemas, embora gratuitos, no so de cdigo aberto e um API do Google Maps que usamos hoje livremente pode ser requerido no futuro pela empresa….”


Mapa de Vigilncia no Mundo da Privacy International

No caso de mapas de crimes, essas duas questes se revelam crticas; 1. ele nao reflete a realidade (dos crimes da violncia, ou da segurana) e 2. ele produz uma ideologia prpria do atual regime de vigilncia (f na tcnica, falsa segurana, sentimento de medo distribudo, supervalorizao da observao, prescrio do futuro). Parace haver aqui uma iluso de que a produo do contedo colaborativo e a vigilncia de todos garantiriam alguma segurana no futuro (j produzido portanto enquanto catstrofe iminente).

Nesse sentido, post do Dispositivos de Visibilidade e Subjetividade Contempornea informa sobre uma “mapa de crimes e de vigilncia colaborativa” no Brasil, o WikiCrimes. O site segue alguns exemplos como o “familywatchdog“, “chicagocrime.org” ou o “oakland crimespotting“, indicado no post. Como destacamos acima, interessante a produo aberta de mapas e contedos indexados (funes ps-massivas das novas mdias), mas temos que levar em conta, como em toda mdia, as duas questes arroladas para saber ler (recepo) o contedo (mensagem) desses tipo de suporte (mapas): 1. eles no reproduzem o real (aberto, cristalino e “apenas a” esperando para que o leiamos com as novas ferramentas 2.0), mas o produzem e; 2, eles esto longe de serem neutros, refletindo ideologias e a atual parania do medo e da vigilncia ps 9/11. Vemos aqui a crena, por um lado, nos dispositivos tcnicos para resolver problemas no tcnicos, e por outro, na mobilizao social que ao se expressar, resolveria os problemas. Como afirma o post “…esse gnero de mapa prope uma associao, no mnimo questionvel, entre cidadania e vigilncia, passando pelo impulso colaborativo. Alm disso, fomenta a idia de que todos estaro mais seguros ao serem informados sobre os locais mais perigosos das cidades, enquanto se sabe que, ao contrrio, toda uma cultura do medo e da insegurana que a prolifera.”. Sobre vigilncia vejam um dos meus post e outros do “Dispositivos de Visibilidade…”.