Leveza

Minha contribuio ao caderno especial sobre o tema no jornal gacho Correio do Povo, organizado pelo Juremir Machado da Silva e publicado no ltimo sbado.

Leveza

Andr Lemos (1)

Carrego a mochila com todos os objetos
Para me conectar livre, sem empecilhos.
E a quero sempre leve, muito leve.

Mas aquilo que leve, pesa,
e o que pesa, eleva-se.
Insuportvel leveza compulsria.

Das tecnologias em nanodimenses,
Aos argumentos nas redes sociais,
S conexes sem atrito, flutuando no vazio.

Sem obstculos e sem sujeira,
Nas conversas simples, em poucos caracteres,
Vagam espectros em tempo real.

Limpas e leves so as aes brevssimas,
Sem incmodos, sem complicaes.
Tudo fcil enredado e flutuante.

E na aparente desmaterializao
Da mochila que levo cheia de objetos,
O vazio dos dados atrai e conecta.

Mas a liberdade sem peso
pluma que no pousa.
hiperdensidade que aterra.

Dizem que leve para ser livre!
Minha comida, minha bebida, minha roupa,
Meu celular, meu tablete, meu laptop.

Leve hoje, pesado ontem.
Mais leve amanh.
Matria escura.

E da nuvem vem a msica:
Leve, como leve pluma muito leve pousa, muito leve leve pousa aaa…
Na simples e suave coisa, suave coisa nenhuma, suave coisa nenhuma aaa (2)

Neste imprio digital
(Leve coisa nenhuma),
A nuvem no faz sombra.

E pesa o corpo dado e fardo.
E pesa a fala simples sem sujeito,
Pois sem o que molda ou atormenta.

Das coisas obsoletas e programadas,
Na desmaterializao a matria que sustenta,
No digital o tomo que salva.

A mochila pesa e me avisa
Que peso salva se for leve.
Leveza sem peso o nada.

Me curvo com a mochila
Na gravidade insuportvel
Da era do vazio que constrange.

O olhar voltado pro cho.
E as costas curvadas
Pelo peso da mochila.

Tanto trabalho, gangorra,
Tropeo, oh calculi,
E desprego da obedincia.

Do peso, ufa, se faz voo.
Da queda que importa
Vem a leveza, a liberdade.

O resto pluma,
Na nuvem,
Que no pousa!

_______
1. Professor Associado da Faculdade de Comunicao da UFBA. Pesquisador do CNPq, Coordenador do Lab404.
2. Trecho da letra da msica Amor do lbum Secos e Molhados, Secos e Molhados, 1973.

One Reply to “Leveza”

Os comentários estão fechados.