Lançamento dos Livros

O FANTASMA DE BECKETT (romance) – EDITORA SULINA, PORTO ALEGRE. 

Bella, uma jovem de trinta anos, sai de Paris e vai passar um tempo em Dublin para resolver sequelas do seu passado. Sem saber, como que sendo manipulada pelo destino, ela refaz os passos do Prêmio Nobel de Literatura Samuel Beckett, escritor do desaparecimento, da imobilidade e da impossibilidade de comunicação. Pessoas, lugares e objetos serão determinantes para o desfecho da história.

Haverá leitura de trechos do livro em performances com os atores Celso Jr., Cristina Leifer e Enjolras Oliveira. 

ISSO (NÃO) É MUITO BLACK MIRROR – EDUFBA, SALVADOR 

A série Black Mirror, de grande repercussão no Brasil e no mundo, coloca em questão temas caros à sociedade contemporânea. O argumento central desse livro, contrário ao que se tem defendido em muitos artigos e debates sobre o tema, é que a série não fala do futuro e aponta com deficiência problemas do presente. Através de uma linguagem ensaística, o livro é acessível ao público não especialista. Este é o primeiro livro publicado no Brasil sobre a série.

Numérisation Généralisée de la Société

Na próxima semana participo do Colóquio “Numérisation Généralisé de la Société”, na UQAM, Université du Québec à Montréal, em Montreal. Volto à cidade depois de 10 anos quando morei em 2008.  Bom para ouvir sobre o estado da arte da pesquisa e rever os meus lugares favoritos, se ainda existirem… Apresento um artigo, escrito com Daniel Marques, sobre Sensibilidade Performativa, Internet das Coisas e Privacidade.

Resumo:

L’Internet des Objets (IdO) est un réseau dans lequel les objets physiques sont instrumentalisés avec des capteurs et acquièrent des capacités de communication. A partir d’une agence algorithmiques indépendant de l’action humaine directe, ces objets prennent des décisions liées au contexte, échangent des informations, reconnaissent les identités et déclenchent des actions sur un réseau étendu. Cette agence j’appelle de “Sensibilité Performative” (SP). La SP est un acteur-réseau qui ne renvoie pas seulement à la qualité des capteurs intégrés aux objets, mais à la performance du dispositif dans un réseau plus large (discours technocratiques, les stratégies de markéting, les pratiquesdes usages, la publicité, les modèles d’affaires). Nous montrerons comment les menaces à la vie privée dans l’IdO circulent à partir de la SP des nouveaux objets de l’IdO.

Fotografia e Práticas de Dados

Novo artigo publicado na Revista Comunicação, Mídia e Consumo, A2. A Fotografia como Prática Conversacional de Dados: espacialização e sociabilidade digital no uso do Instagram em praças e parques na cidade de Salvador.

RESUMO

Esse artigo investiga empiricamente a prática fotográfica através do aplicativo Instagram. Foram analisadas 305 imagens associadas à geolocalização de 4 praças e parques da cidade de Salvador. A análise foi desenvolvida através de três aspectos: processo de espacialização, processo de sociabilidade e processo de produção de si (retratos e selfies).
O uso de metatexto (hashtags, legendas e emojis) e de dados de geolocalização indicam que a prática fotográfica se dá hoje enquanto uma prática conversacional de dados. Ela convoca uma ampla rede que passa pelo local escolhido, pelo artefato utilizado, pelas formas de edição e manipulação da imagem, pelos metatextos, pelas geotags, pelo procedimento algorítmico da rede social, pelas formas de compartilhamento… O uso da fotografia em redes sociais é um ator-rede, performativo, algorítmico, muito diferente da prática de produção de fotos analógicas ou mesmo digitais antes do surgimento dessas redes. Isso possibilita aos usuários a criação de um discurso/narrativa e de uma prática de dados relacionadas à fotografia até então inédita.

 

Digital Communities

Sou membro há anos do comitê internacional para o prêmio Digital Communities do Ars Electronica. Como todo ano, indico projetos para serem avaliados. Se souberem de algum interessante, por favor, me façam saber. Submissão até 02 de março. Vejam link.

The “Digital Communities” category focuses on the wide-ranging social and artistic impact of the Internet technology as well as on the latest developments in social software, user generated content, mobile communications and location based services. Continue reading “Digital Communities”

Salvador, Cidade Inteligente?

Artigo recém-publicado na revista Eco-Pos, da UFRJ, com edição de Janice Caiafa

LEMOS, André. JESUS, Raniê Solarevisky de. Salvador inteligente? Comunicação, invisibilidade e operação manual em experiências de IoT na capital baiana. Revista Ecopós, Vol. 20, n. 03, Novembro/ dezembro de 2017, p. 66-92.

Resumo: O texto apresenta e analisa algumas experiências com Internet das Coisas (Internet of Things, IoT) em Salvador. Semáforos inteligentes, Continue reading “Salvador, Cidade Inteligente?”

Livros de 2017 (ficção)

Livros de ficção lidos (alguns relidos) em 2017 (em ordem de leitura).

Todos muito bons. Destaque para: 6, 7, 11, 18, 20, 22.

Abandonei em 40% “simpatia pelo demônio” de Bernardo de Carvalho (escritor que gosto muito, mas não desse livro, entretanto).

E estou em 30% de Eclipse de Banville.

Meta de 2018: 24 livros!

1. Enclausurado, Ian Mcewan
2. Mersault, contre-enquête, Daoud Kamel
3. Esperando Godot, Beckett
4. Companhia e outros textos, Beckett
5. O despovoador / Mal visto mal dito, Beckett
6. O Mar, Banville
7. O Ruído do Tempo, Julian Barnes
8. O Professor, Cristovão Tezza
9. Metamorfose, Kafka
10. A Odisseia, Homero
11. Homem Lento, J.M. Coetzee
12. La fin du monde n’aurait pas eu lieu, Patrick Ourednik
13. The sea close by, A. Camus
14. Desonra, J.M. Coetzee
15. Eclesiastes, Bíblia
16. Tentativa de esgotamento de um local parisiense, G. Perec
17. Zero K, Don deLillo
18. Nunca houve tanto fim como agora, Evandro Affonso Ferreira
19. Minha mãe se matou sem me avisar, Evandro Affonso Ferreira
20. Multipla Escolha, Alejandro Zambra
21. O mendigo que recitava Erasmo de Rotterdam, Evandro Affonso Ferreira
22. Primavera de cão, Patrick Modiano